939609644
Criado em 2018-01-18 13:24:45   2684 pesquisas   10 comentários   rede NOS / Optimus
José Manuel Álvaro classificou como Desconhecido em 2018-07-11

Este novo mundo onde se permite a utilização impune destes esquemas mete nojo .

Virginia classificou como Tentativa de burla em 2018-03-02

A empresa é a TESTCERT e Ligaram a marcar 2 vezes, por este numero e pelo 934 651 940. Quando se tenta ligar ninguém atende. Falei com a Portgas (minha fornecedora de Gas) que me disse que era FRAUDE e para ignorar e não aceitar nenhuma inspecção e não fazer nenhum pagamento. A instalação do gas, no meu caso não tem mais de 20 anos, como tal não é como ele erradamente informam, não é o obrigatória. Quando for, serei EU a escolher a empresa que fará a inspecção pois existem várias, e a TESTCERT com toda a certeza não será a escolhida pela tentativa de impingir uma mentira.

Maria Varela classificou como Desconhecido em 2018-02-23

Acabei de realizar a inspecção a semana passada . E após varias pesquisas e até ter contactado directamente a empresa Test Cert, e de seguida a DGGE, e ter consultado a legislação percebi que os 20 anos que toda a gente fala é muito difícil servir para uma companhia de seguros ou qualquer outra entidade em caso de sinistros. Pois o que o Sr José aqui presente viu também eu vi no site da REN, mas não é isso que está na Lei,esqueceram-se ou fizeram de propósito de não colocar lá a ultima palavra que por sua vez é a chave "Remodelação". Atenção aos 20 anos!!!! Estou satisfeita e já tenho o meu certificado válido por 5 anos.... Cuidado estamos a falar de gás que se não houver algum respeito pode trazer graves acidentes.

Margarida classificou como Desconhecido em 2018-02-23

Eu tambem fiz a inspecçao, sabia que nao era obrigatorio, mas assim tive a certeza que estou protegida.

Luis Faria classificou como Desconhecido em 2018-02-23

Boa tarde, também me ligaram desse número e ainda bem até porque queria ficar descansado quanto à minha instalação de gás até porque desde algum tempo para cá que de vez em quando me vinha um cheiro a gás, até que também recebi uma chamada desse número e vieram a minha casa fazer a inspeção e ainda bem por tinha uma fuga no tubo do esquentador. Obrigado à empresa inspetora que foi a Test Cert. Pode não ser obrigatório mas não custa nada saber mos que estamos seguros.

Teresa classificou como Desconhecido em 2018-02-23

Não é fraude, não. É obrigatória a inspeção de 5 em 5 anos, sim. Há muita gente que não sabe, mas é mesmo obrigatório. E quem não tiver o certificado da inspeção há menos de 5 anos pode ser responsabilizado em caso de sinistro no seu edifício (ou bloco de apartamentos). Mais vale prevenir e realizar a inspecção do que remediar.

Pereira classificou como Desconhecido em 2018-02-23

Boa tarde, QUEM ENGANA QUEM? As entidades distribuidoras de gás, como é o caso da GALP ENERGIA e a REN Portgás Distribuição, entre outras existentes em território nacional, não são entidades inspetoras de gás. Só às entidades inspetoras de gás é que são reconhecidas competências para a realização de inspeções. Na sua grande maioria os proprietários ou usufrutuários, das instalações de gás que têm mais de 20 anos ou até menos idade, que foram alvo de reconversão (operação de adaptação de uma instalação de gás e dos respetivos aparelhos por mudança de família de gás combustível) ou conversão (a operação que consiste em dotar um edifício já existente com uma instalação de gás) por parte das entidades distribuidoras, não estão na posse da documentação que os possa salvaguardar para qualquer eventualidade (exemplo: em caso de sinistro junto da respetiva companhia de seguros). Era prática comum, as entidades distribuidoras não entregarem aos proprietários ou usufrutuários os projetos das instalações de gás, os termos de responsabilidade emitidos pela entidade que executou a instalação de gás e o certificado de inspeção da instalação de gás emitido pela entidade inspetora que realizou a inspeção. A este tipo de instalações de gás, podemos acrescentar as instalações de gás espalhadas pelo continente e ilhas, abastecidas a GPL, cujos seus proprietários ou usufrutuários se encontram na mesma situação. Se, atendermos ao facto que os tubos flexíveis não metálicos para gás natural, para ligação dos aparelhos do TIPO A (exemplo: fogões) às instalações de gás, têm uma validade de 5 anos. Tinha conhecimento? Na qualidade de proprietário ou usufrutuário sabe que tem de ter na sua posse os seguintes documentos: a) Projeto da instalação de gás para os edifícios cujo seu licenciamento foi requerido à entidade competente, após a entrada em vigor do Decreto-Lei n.o 262/89, de 17 de agosto. b) Termo de responsabilidade emitido por uma EI, após a entrada em vigor do Decreto-Lei n.o 262/89, de 17 de agosto. c) Certificado de inspeção da instalação de gás emitido por uma EIG, após a entrada em vigor da Portaria n.o 362/2000, de 20 de junho. Recomendo uma análise cuidada ao ponto 3 do artigo 3.o da portaria n.o 362/200, de 20 de junho. Facilmente poderão atestar a preocupação do legislador pela salvaguarda dos interesses dos cidadãos. Quando estamos na presença de instalações de gás inseridas em propriedade horizontal não podemos olhá-las separadamente. Não nos esqueçamos do ocorrido em 22 de novembro de 2007 no edifício de habitação coletiva em Setúbal. Inspeção só após 20 anos? Tem a certeza? A informação que lhe deram está errada, porque induz em erro. O Decreto-Lei n.º 97/2017, de 10 de agosto, que entrou em vigor no passado dia 1 de janeiro. http://data.dre.pt/eli/dec-lei/97/2017/p/cons/20171009/pt/html SECÇÃO VII Inspeções periódicas e extraordinárias Artigo 21.º Instalações sujeitas a inspeção periódica 1 — Todas as instalações de gás abastecidas afetas a edifícios e recintos classificadas nos termos do Decreto –Lei n.º 220/2008, de 12 de novembro, alterado pelo Decreto-Lei n.º 224/2015, de 9 de outubro, devem ser submetidas a inspeção periódica, de acordo com a seguinte periodicidade: a) A cada três anos: i) As instalações de gás afetas à indústria turística e de restauração, a escolas, a hospitais e outros serviços de saúde, a quartéis e a quaisquer estabelecimentos públicos ou particulares com capacidade superior a 250 pessoas; ii) As instalações industriais com consumos anuais superiores a 50 000 m3 de gás natural, ou equivalente noutro gás combustível; b) A cada cinco anos, as instalações de gás executadas há mais de 20 anos e que não tenham sido objeto de remodelação. Artigo 23.º Inspeções extraordinárias 1 — As instalações de gás e a instalação dos aparelhos a gás devem ser sujeitas a inspeção extraordinária quando ocorra uma das seguintes situações: a) Se proceda à sua reconversão; b) Sejam efetuadas alterações no traçado, na secção ou na natureza da tubagem nas partes comuns ou no interior dos fogos, ou substituição dos componentes da instalação por outros de tipo diferente; c) Fuga de gás ou interrupção do seu fornecimento por existência de defeito do tipo -G. 2 — Às inspeções extraordinárias aplicam -se os procedimentos previstos para as inspeções periódicas. 3 — A mudança de comercializador de gás e a mudança de titularidade no contrato de fornecimento de gás não implicam a realização de inspeção extraordinária desde que não haja interrupção de fornecimento de gás por motivos técnicos, nem se verifique nenhuma das situações descritas no n.º 1 e exista declaração de conformidade de execução ou declaração de inspeção válidas que aprovem a instalação. 4 — Quando exista inspeção extraordinária, o prazo para a inspeção periódica conta-se a partir desta. Quem tenha seguro do seu imóvel, deve solicitar aconselhamento jurídico. Recomendo que verifiquem os diplomas abaixo sublinhados, por ordem cronológica. Enquanto estiveram em vigor os diplomas, ora revogados, tinham de ser cumpridos. Artigo 36.º Norma revogatória São revogados: a) O Decreto -Lei n.º 263/89, de 17 de agosto, alterado pelo Decreto -Lei n.º 232/90, de 16 de julho; b) O Decreto -Lei n.º 521/99, de 10 de dezembro; c) Os artigos 12.º e 13.º do Decreto -Lei n.º 125/97, de 23 de maio, alterado pelo Decreto -Lei n.º 389/2007, de 30 de novembro, sem prejuízo do disposto no artigo 33.º do presente decreto -lei; d) A Portaria n.º 163 -A/90, de 28 de fevereiro; e) O n.º 11 do artigo 13.º do Regime Jurídico de Edificação e Urbanização aprovado pelo Decreto -Lei n.º 555/99 de 16 de dezembro; f) O n.º 1.º e o anexo I da Portaria n.º 362/2000, de 20 de junho, alterada pelas Portarias n.º 690/2001, de 10 de julho e 1358/2003, de 13 de dezembro, na data de entrada em vigor do despacho previsto no n.º 1 do artigo 14.º, sem prejuízo do disposto no n.º 4 do artigo 21.º e no n.º 2 do artigo 33.º do presente decreto -lei; g) O n.º 2.º e o anexo II da Portaria n.º 362/2000, de 20 de junho, alterada pelas Portarias n.º 690/2001, de 10 de julho, e 1358/2003, de 13 de dezembro.

JOSE classificou como Desconhecido em 2018-02-21

Test Cert, tentativa de sacar dinheiro, não uma fraude apenas porque é uma empresa certificada, mas no entanto alegam que se tem de fazer a inspecção com base num decreto de lei que não é conhecido...não marquem nada...vejam info em baixo... Inspeções de gás: Alerta para fraude em nome da REN Portgás Distribuição A REN Portgás Distribuição, distribuidor de gás natural nos distritos de Porto, Braga e Viana do Castelo, alerta para a existência de contactos fraudulentos efetuados por terceiros em seu nome (utilizando a anterior designação social da empresa ‘EDP Gás’). Nos contactos, estabelecidos telefonicamente por terceiros, é transmitido aos clientes que é obrigatória a inspeção das instalações de gás e que a não realização da inspeção implicará a interrupção do abastecimento de gás natural. A REN Portgás Distribuição, operador da rede de distribuição de gás natural, esclarece que não efetua inspeções de instalações de gás. A empresa disponibiliza a linha de atendimento 808 100 900 para esclarecimento de qualquer dúvida sobre este tema e esclarece que: 1) As inspeções são da responsabilidade do proprietário ou utente do imóvel que, para as realizar, deve recorrer a entidades independentes credenciadas pela Direção-Geral de Energia e Geologia (DGEG). 2) Uma instalação de gás carece de inspeção nas seguintes situações: a.Na ativação do fornecimento; b.Sempre que sejam efetuadas alterações de traçado, na secção ou na natureza da tubagem, ou substituição dos componentes da instalação; c.Quando ocorrer uma fuga de gás ou a interrupção do fornecimento decorrente da existência de um defeito crítico (nomeadamente fuga de gás ou deteção de monóxido de carbono). 3) Complementarmente, uma instalação necessita de inspeções periódicas em função do seu tipo e do seu uso, com a seguinte periodicidade: i.Nos casos da indústria turística e de restauração, escolas, hospitais e outros serviços de saúde, quartéis e quaisquer estabelecimentos públicos ou particulares com capacidade superior a 250 pessoas, bem como as instalações industriais com consumos anuais superiores a 50.000 m3 de gás natural: a cada 3 anos. ii.As restantes situações, nomeadamente instalações de gás associadas a edifícios de habitação, devem ter uma primeira inspeção periódica quando a instalação de gás completa 20 anos. Após essa inspeção, devem ser realizadas a cada 5 anos. Esclarecimento publicado a 31.01.18

Diana classificou como Desconhecido em 2018-02-19

Acabaram de fazer o mesmo à minha mãe e ligamos para a nossa companhia do gás e não há nada registado para fazer inspeção. Cuidado.

Ricardo classificou como Tentativa de burla em 2018-02-15

Ligam a informar que é obrigatório fazer inspeção ao gás mas é fraude. Tento devolver a chamada e não atendem! Cuidado


Possíveis representações deste número:

939609644 939 609 644 93 960 9644 93 960 96 44